Pesquisar no Portal Saber Espiritismo

sexta-feira, 31 de maio de 2013

TEORIA DA RELATIVIDADE GERAL E TEORIA DA RELATIVIDADE ESPECIAL (RESTRITA), DE ALBERT EINSTEIN, NO LIVRO DOS ESPÍRITOS?



A Teoria da Relatividade Geral e a Teoria da Relatividade Especial, de Albert Einstein, nos mostraram que o tempo passa de forma diferente para pessoas que estão em referenciais diferentes, ou seja, o tempo passa de forma diferente para observadores diferentes, o tempo é de fato um fenômeno relativo para cada observador que está em um referencial diferente ao que está um outro observador . O tempo passa mais devagar para observadores submetidos a efeitos gravitacionais mais intensos, mais fortes, e também passa cada vez mais devagar para observadores que se movem cada vez mais rápidos em relação a um outro observador.

Vejam como os Espíritos nos revelam como o tempo é percebido de forma diferente por eles, o que pode ser fundamentado pelas Teorias da Relatividade Geral e Especial, que de fato nos mostram que o tempo é percebido, passa, de forma diferente para observadores que se encontram em lugares, em referenciais, diferentes, o que é fundamentado pelas Teorias da Relatividade que nos mostram que o tempo é um fenômeno relativo. A física Newtoniana, clássica, não pode nos ajudar a fundamentar cientificamente estas repostas dos Espíritos, só as Teorias da Relatividade Geral e Especial é que podem nos ajudar a fundamenta-las.


Do Livro dos Espíritos temos:

240. A duração, os Espíritos a compreendem como nós?

“Não e daí vem que nem sempre nos compreendeis, quando se trata de determinar datas ou épocas.”

Os Espíritos vivem fora do tempo como o compreendemos. A duração, para eles, deixa, por assim dizer, de existir. Os séculos, para nós tão longos, não passam, aos olhos deles, de instantes que se movem na eternidade, do mesmo modo que os relevos do solo se apagam e desaparecem para quem se eleva no espaço. (Observação feita por Allan Kardec)


241. Os Espíritos fazem do presente mais precisa e exata ideia do que nós?

“Do mesmo modo que aquele, que vê bem, faz mais exata ideia das coisas do que o cego. Os Espíritos vêem o que não vedes. Tudo apreciam, pois, diversamente do modo por que o fazeis. Mas, também isso depende da elevação deles.”


242. Como é que os Espíritos têm conhecimento do passado? E esse conhecimento lhes é ilimitado?

“O passado, quando com ele nos ocupamos, é presente. Verifica-se então, precisamente, o que se passa contigo quando recordas qualquer coisa que te impressionou no curso do teu exílio. Simplesmente, como já nenhum véu material nos tolda a inteligência, lembramo-nos mesmo daquilo que se te apagou da memória. Mas, nem tudo os Espíritos sabem, a começar pela sua própria criação.”


243. E o futuro, os Espíritos o conhecem?

“Ainda isto depende da elevação que tenham conquistado. Muitas vezes, apenas o entreveem, porém nem sempre lhes é permitido revelá-lo. Quando o vêem, parece-lhes presente. À medida que se aproxima de Deus, tanto mais claramente o Espírito descortina o futuro. Depois da morte, a alma vê e apreende num golpe de vista suas passadas migrações, mas não pode ver o que Deus lhe reserva. Para que tal aconteça, preciso é que, ao cabo de múltiplas existências, se haja integrado nele.”

a) — Os Espíritos que alcançaram a perfeição absoluta
têm conhecimento completo do futuro?

“Completo não se pode dizer, por isso que só Deus é soberano Senhor e ninguém o pode igualar.”


Destaco os seguintes trechos das questões 242 e 243:


242. Como é que os Espíritos têm conhecimento do passado? E esse conhecimento lhes é ilimitado?


“O passado, quando com ele nos ocupamos, é presente.



243. E o futuro, os Espíritos o conhecem?

“Ainda isto depende da elevação que tenham conquistado. Muitas vezes, apenas o entreveem, Quando o vêem, parece-lhes presente. À medida que se aproxima de Deus, tanto mais claramente o Espírito descortina o futuro. 


a) — Os Espíritos que alcançaram a perfeição absoluta
têm conhecimento completo do futuro?

“Completo não se pode dizer, por isso que só Deus é soberano Senhor e ninguém o pode igualar.”


Os fundamentos que a física nos dá para estes processos, para estes fenômenos, dos Espíritos poderem ver o passado ou o futuro, de alguma forma e mais ou menos de acordo com o seu grau evolutivo, encontramos de novo na Teoria da Relatividade, pois quando Einstein estudou a simultaneidade e estabeleceu o princípio da simultaneidade, ele ficou chocado com o que ele descobriu, ou seja, ele viu que observadores em referenciais diferentes percebem a realidade, os eventos, de forma diferentes. Para um observador A, o evento já ocorreu, faz parte do passado; para um observador B, o mesmo evento está ocorrendo, acontecendo, faz parte do presente; e para um observador C o mesmo evento, visto de formas diferentes, percebido de formas diferentes, em tempos diferentes, pelos observadores A E B, será ainda visto, não foi então ainda visto, fazendo parte do futuro.  Einstein começou a questionar então se A REALIDADE existia, pois se observadores diferentes viam coisas diferentes então a REALIDADE de fato existiria? Ou seria ela a criação da mente de cada observador, ou seja, ela existiria somente na mente do observador, e cada um a veria na sua mente de uma forma particular? 

Einstein respondeu a isso dizendo que PASSADO, PRESENTE E FUTURO, são REAIS E COEXISTEM. 

E é exatamente este entendimento do Einstein que pode ser uma das explicações possíveis que nos permitem ver que não é nenhum absurdo os Espíritos nos dizerem que quando vêem o passado e o futuro, eles os vêem como se fossem o presente, ou seja, que eles de certa forma podem de fato ver tanto o passado como o futuro, que de acordo com Einstein são reais e coexistem (além também do fato deles poderem ver o passado chamando-o, recordando-o, na memória, a qual fica menos limitada e bloqueada no Mundo Espiritual. Lembramos também que de acordo com o Princípio da Conservação da Informação, da física, nenhuma INFORMAÇÃO é perdida no universo. Especulando sobre isso, e tentando estabelecer alguma relação possível entre a nossa capacidade de recordar e de memória e esse princípio da conservação da informação, podemos concluir, pelo menos como possibilidade, que nenhuma de nossas memórias e experiências passadas será perdida, será esquecida. Também lembramos aqui que outra forma dos Espíritos verem o futuro pode ser através de análises, simulações, e fazendo projeções, inclusive usando matemática e matemática estatística para fazerem as projeções, e suas previsões futuras estarão mais corretas, estarão mais próximas da verdade, estarão mais de acordo com o que o futuro revelará, nos trará, quanto mais evoluído for o Espírito. Ainda outra forma dos Espíritos verem o futuro se dá quando DEUS o revela para eles de alguma outra forma que nós ainda não conhecemos).

Se Allan Kardec estivesse inventando tudo o que está no Livro dos Espíritos, se ele estivesse mentindo ao dizer que o Livro dos Espíritos traz conceitos revelados pelos Espíritos quando na verdade tudo seria uma farsa inventada e urdida por ele, vocês não concordariam que o mais lógico e recomendado pelo bom senso, pela inteligência, caso de fato Kardec estivesse mentindo e inventando tudo, seria talvez  Kardec se respaldar e se fundamentar nos conceitos científicos da física da época? E como eram os conceitos de tempo da física clássica Newtoniana?  Para a física clássica, Newtoniana, o tempo era absoluto e passava da mesma forma para qualquer observador, mesmo eles estando em referenciais diferentes, ou seja, eles veriam o tempo passar da mesma forma mesmo estando em referenciais diferentes. Este conceito de tempo não fundamentaria cientificamente as respostas que vimos os Espíritos nos darem em relação a como eles percebem de forma diferente o tempo, vendo inclusive o passado e o futuro como se fossem o presente.

Allan Kardec não se fundamentou nos conhecimentos da física do século XIX, o que talvez ele faria se fosse inventar algo dizendo que vinha dos Espíritos. Possivelmente se ele fosse inventar algo, para fundamentar a sua mentira, a sua invenção, para torna-la mais crível, ele usaria os conceitos da física de sua época para dar mais fundamentação para a sua invenção. Mas ele usou conceitos de tempo, conceitos de física, que não existiam na sua época, que a física da época ainda não conhecia e que só chegariam para a humanidade através das Teorias da Relatividade Especial (Restrita) e Geral, que foram descobertas por Einstein em 1905 e em 1915, respectivamente. O conceito de tempo da época era o Newtoniano, para o qual o tempo era absoluto, era o mesmo para tudo e para todos independentemente se estivessem em referenciais diferentes.

Não é a primeira vez que Kardec antecipa conceitos e descobertas científicas. Em 1857, ele lançou o Livro dos Espíritos onde os Espíritos nos mostravam que os seres, que os Espíritos, evoluíam, passando por experiências encarnatórias em vários tipos de corpos, pertencentes aos vários reinos, processo que crescia em complexidade à medida que o Espírito evoluía e portanto necessitava de corpos, que na verdade são máquinas, cada vez mais complexos, cada vez mais evoluídos, para que pudessem proporcionar ao Espírito toda a experiência necessária para a sua evolução, naquele momento. Charles Darwin só lançou o seu livro sobre a Teoria da Evolução dois anos depois do lançamento do Livro dos Espíritos, em 1859, sendo que dizem que no ano anterior ao lançamento, 1858, um ano depois de Kardec lançar o Livro dos Espíritos, só três pessoas sabiam o que Darwin iria publicar. Então Kardec nos trouxe através do Livro dos Espíritos, através da revelação dos Espíritos, o conceito de EVOLUÇÃO do ser, com dois anos de antecedência em relação ao apresentado por Charles Darwin.


Chamo a atenção também para essa observação feita por Kardec na questão 240, que é:
"Os Espíritos vivem fora do tempo como o compreendemos. A duração, para eles, deixa, por assim dizer, de existir. Os séculos, para nós tão longos, não passam, aos olhos deles, de instantes que se movem na eternidade, do mesmo modo que os relevos do solo se apagam e desaparecem para quem se eleva no espaço."
 Isso nos leva a pensar e a concluir que Jesus Cristo, o Espírito responsável pelo processo evolutivo de todos os seres da Terra , e pelo sistema como um todo, desde a formação da Terra que se deu em torno de 4,5 bilhões de anos atrás, possivelmente não percebeu a passagem desses 4,5 bilhões de anos como nós os percebemos, ou seja possivelmente Ele não percebeu estes anos passarem tão devagar quanto nos pareceu passar e ainda parece passar para nós, mas certamente, Ele os viu passar num piscar de olhos. Não temos uma ideia completa de como um Espírito como Esse percebe o tempo, percebe o fenômeno relativo que entendemos como tempo, em que tipo de Realidade Ele vive, Ele existe, e se de fato Ele está subordinado a algum tipo de tempo. Alguns físicos, por exemplo, dizem que o fóton; como viaja na velocidade máxima permitida para um objeto físico no nosso universo de acordo com a Teoria da Relatividade Especial; vive no ETERNO PRESENTE, pois o tempo não passa para ele, então ele vive no eterno presente, vive na eternidade. Não é um conceito que nos remete ao DIVINO, o conceito de eternidade, e o fóton é luz, é partículas de luz, e muitas vezes atribuímos a luz a Deus, sendo Deus a fonte e a origem de toda Luz que existe, de todas as Energias  que existem, e a luz é uma das formas da Energia se apresentar, de se expressar.


Dauro Mendes


quinta-feira, 30 de maio de 2013

A MORTE DE DIMAS E A POSSÍVEL DESCOBERTA DE QUEM ELE FOI QUANDO ENCARNADO AQUI NA TERRA. MAIS EVIDÊNCIAS DA VERACIDADE DA MEDIUNIDADE DE CHICO XAVIER?




No vídeo abaixo veremos uma representação artística do que seria o desencarne de um médium, chamado Dimas, descrito pelo espírito de André Luiz no livro "Obreiros da Vida Eterna", psicografado por Chico Xavier.

Angélica da Costa Maia, no seu artigo intitulado "Companheiro Libertado", cujas páginas reproduzimos logo abaixo do vídeo, nos traz, segundo ela, a descoberta e a revelação de quem era o Dimas quando encarnado aqui na Terra, em sua última experiência terrena, confirmando, repito, segundo ela, o que o espírito de André Luiz narra e descreve em seu livro. Seria mais uma prova da veracidade da mediunidade de Chico Xavier? 










  



  








Dauro Mendes     














segunda-feira, 27 de maio de 2013

O ESPIRITISMO E A CIÊNCIA, PALESTRA COM O GILSON FREIRE




Prezados amigos, no link abaixo segue a palestra com o médico Gilson Freire, onde ele aborda o interessante tema da relação da  Ciência com o Espiritismo.




Dauro Mendes

sexta-feira, 24 de maio de 2013

ALL ABOUT CHICO XAVIER with Geraldo Lemos Netto

Join the SSVA center on Sunday, June 9!

EM 1927 A MECÂNICA QUÂNTICA É RECONHECIDA PELA CIÊNCIA COMO TEORIA VITORIOSA E TAMBÉM EM 1927 COMEÇA OFICIALMENTE OS TRABALHOS MEDIÚNICOS DE CHICO XAVIER. POR QUE RELACIONARMOS ESTES DOIS EVENTOS IMPORTANTÍSSIMOS QUE OCORRERAM NO MESMO ANO?



 Será "coincidência" a mecânica quântica ter sido apresentada como teoria vitoriosa ao mundo em 1927, na conferência de Solvay, e também em 1927 ser apresentado ao mundo o segundo maior fenômeno mediúnico de todos os tempos, depois naturalmente do Cristo, segundo maior fenômeno que foi a mediunidade de Chico Xavier? Por que estou relacionando os dois eventos que ocorreram na mesma data? Porque a Mecânica Quântica é uma ferramenta fundamental para nos ajudar a entender, compreender, e a fundamentar como possível, muitas coisas que o espírito de André Luiz, de Emmanuel, e os espíritos que trabalharam com Kardec, nos disseram. Também porque a MECÂNICA QUÂNTICA é a principal teoria científica que nos dá a fundamentação para admitirmos, pelo menos como possibilidade, a existência de fenômenos ABSOLUTAMENTE "MÁGICOS" E ASSOMBROSOS, impressionantes, ocorrendo no nosso universo, e quem sabe também fora dele, nos convencendo que de fato "HÁ MUITO MAIS ENTRE O CÉU E A TERRA DO QUE SUPÕE NOSSA VÃ FILOSOFIA" como bem disse William Shakespeare, famoso dramaturgo e poeta inglês.

Como poderia ser diferente, se a Mecânica Quântica ao descobrir e explicar o que é a REALIDADE FÍSICA, o que é a NATUREZA, claro que dentro do possível, nos REVELOU a existência de fenômenos absolutamente ASSOMBROSOS e "MÁGICOS", existindo e ocorrendo no nosso universo, que fazem parte do funcionamento do nosso Universo, da nossa Realidade Física? Se esses fenômenos assombrosos descritos e descobertos pela Mecânica Quântica existem, fazem parte do nosso Universo, por que não poderiam existir os fenômenos relacionados à Realidade Espiritual, relacionados ao Mundo Espiritual? Eles não poderiam existir porque são fantásticos demais, assombrosos demais, "mágicos" demais? Mas os fenômenos descobertos e revelados pela Mecânica Quântica também não o são, e no entanto eles não existem, são reais, não acontecem de fato no nosso Universo? Sim, eles existem, são reais e acontecem de fato no nosso Universo. Por que podemos acreditar na existência de um e não acreditar na existência do outro, sendo que todos os dois tipos de fenômenos, os revelados pela Mecânica Quântica e os atribuídos ao Mundo Espiritual, são IGUALMENTE "MÁGICOS", ESPETACULARES, E ABSOLUTAMENTE ASSOMBROSOS? Se constatamos que um deles existe, no caso os fenômenos revelados pela Mecânica Quântica, a lógica nos impõe que não seja absurdo admitirmos a real possibilidade da existência do outro, que são os fenômenos relacionados à Realidade Espiritual, relacionados ao Mundo Espiritual.
 
O surgimento da Mecânica Quântica foi tão importante para tudo, inclusive para a religião, que levou o grande físico Sir Arthur Eddington a dizer o seguinte: "Talvez se diga que a conclusão a ser extraída a partir dos argumentos da ciência moderna é que a religião tornou-se primeiramente possível para um cientista sensato POR VOLTA DO ANO DE 1927". Ele disse isso porque entendeu, e enxergou, perfeitamente a gigantesca importância da Mecânica Quântica para fundamentar a CRENÇA ESPIRITUAL.


Dauro Mendes

quarta-feira, 22 de maio de 2013

"Há 2.000 anos" - Marco Paulo Di Spirito faz incursões históricas no primeiro romance ditado por Emmanuel


Marco Paulo Di Spirito, nos apresenta o começo de suas pesquisas que fundamentam, do ponto de vista histórico, determinadas passagens históricas que Emmanuel nos relata no livro "Há Dois Mil Anos", psicografado por Chico Xavier.

Amigos, em breve teremos DOIS episódios do Podsaber com o Marco Paulo sobre este tema. As páginas abaixo fazem parte de uma publicação da FEB, Revista Lei Divina, essa é a revista digital do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Evangelho, dirigida pelo nosso amigo Haroldo Dutra Dias.

A revista poderá ser lida em sua integra no endereço: www.revista.febnet.org.br
















































Revista Lei Divina #1 | Maio | 2013 | p. 37-57 | In: www.revista.febnet.org.br 17/05/2013

terça-feira, 21 de maio de 2013

MAIS SOBRE A OBSERVAÇÃO CRIAR A REALIDADE FÍSICA




O projeto PEAR da Universidade de Princeton, a qual é uma das maiores instituições de pesquisa em física do mundo, dirigido pelo importante físico Robert Jahn há mais de 3 décadas, após mais de um milhão de experimentos, confirmou, como conclusão deles, a realidade da MENTE influenciar a matéria, fenômeno que eles chamam de INTENÇÃO. Se lembrarmos que a interpretação ainda majoritária da Mecânica Quântica nos revela que A OBSERVAÇÃO É QUE CRIA A REALIDADE FÍSICA; o que até o presente momento está exaustivamente confirmado teoricamente e experimentalmente, como por exemplo por experiências conduzidas por Anton Zeilinger, considerado um dos maiores físicos quânticos experimentais do mundo na atualidade, e também há algumas décadas, experiências realizadas por ele e por outros grandes experimentalistas as quais somadas ao teorema da incompatibilidade do prêmio Nobel de física de 2003 Anthony Leggett, teorema tão importante como o teorema de Bell do físico John Bell, os levaram a concluir que A REALIDADE FÍSICA NÃO É PRÉ-EXISTENTE E NEM EXISTE DE FORMA INDEPENDENTE DA OBSERVAÇÃO, ou seja, O REALISMO INGÊNUO É FALSO. Quero lembrar aqui que muitos grandes físicos foram além desta conclusão de que A OBSERVAÇÃO É QUEM CRIA A REALIDADE FÍSICA, e afirmaram que é A CONSCIÊNCIA QUEM CRIA A REALIDADE FÍSICA, dentre eles os prêmios Nobel de física Eugene Wigner, Brian Josephson, o gigante da física e da matemática que foi John Von Neumann, outro gigante da física que foi o famoso John Archibald Wheeler o qual ainda nos diz que devemos trocar a palavra observador pela palavra PARTICIPANTE, ou seja, PARTICIPAMOS com as nossas mentes da criação da realidade física, segundo Wheeler, e lembramos aqui também de Freeman Dyson, um dos mais importantes físicos da segunda geração de mecânicos quânticos que disse que "A Mente dominar a matéria é UM PRINCÍPIO UNIVERSAL"; retomando aqui, se lembrarmos que a interpretação majoritária da física nos revela que A OBSERVAÇÃO CRIA A REALIDADE FÍSICA, então não fica difícil aceitarmos o fato da Mente agir sobre a matéria, isto não é mais um absurdo, não é mais um disparate, pelo contrário, passa a ter um possível fundamento dado pela mais importante área da física que é a Mecânica Quântica.

A minha opinião é de que a "matéria", como expressão colapsada de uma superposição de estados de energia em existência potencial, ou como uma expressão colapsada e localizada de "perturbações" dos Campos Quânticos Relativísticos, seja apenas um efeito gerado por uma Realidade Maior e Mais Profunda, que na minha opinião é A CONSCIÊNCIA, e claro que esse efeito é um processo de criação coletiva, onde a realidade física surge como a resultante da contribuição das várias mentes, envolvendo várias mentes, e uma HIERARQUIA MAIOR DE LEIS coordena todo o processo e fenômeno, evitando o surgimento da desordem, da bagunça . Como isso a ciência ainda não provou mas caminha fortemente nesta direção e já existem algumas importantes evidências disso, e como já disse antes que alguns dos maiores físicos já acreditam nisso, passo a te dizer então que as evidências de que a realidade seja criada através da observação saem de dentro da equação de Erwin Schroedinger, por exemplo, onde o grande físico Max Born enxergou que essa equação não descreve e não se refere a ondas materiais mas sim a ondas de POSSIBILIDADES, ONDAS DE POTENCIALIDADES, cujo módulo da função de onda relativa a essas ondas elevado ao quadrado, nos dá A PROBALIDADE de encontrarmos um elemento de realidade, como um elétron, em um determinado lugar. A equação de Schroedinger descreve então, possivelmente, duas formas de existência, a potencial e a que entendemos como "real", como nossa realidade objetiva, e o elemento de realidade, por exemplo um elétron, só passa a existir no nosso mundo após uma observação realizada sobre este estado de superposição de estados, observação que provoca o colapso instantâneo da superposição. Outra evidência de que a realidade não existe enquanto uma observação não for realizada sobre determinada superposição de estados potenciais de energia, que Werner Heisenberg, prêmio Nobel de física e um dos principais criadores da Mecânica Quântica, chamou de segunda forma de existência, de um segundo estado de existência, que ele chamou de POTENTIA, conceito que ele pegou emprestado de Aristóteles, é dada pela famosa experiência da dupla fenda, onde se conclui que as ondas em superposição descritas pela equação de Schroedinger, que expressam o famoso padrão de superposição de ondas em estados potenciais de energia, não podem ser ondas materiais pois não se vê chegar ao anteparo que realiza o papel de observador ondas materiais, mas sim, uma determinada partícula específica que saiu de algum dispositivo posicionado no começo da construção experimental montada para se fazer o experimento (na verdade alguns físicos importantes nos dizem que o elétron que sai do dispositivo não é o mesmo que chega, mas outro idêntico, dentro do princípio da identidade, durante este
 percurso ele não teria existência "real" no nosso universo) . Também a experiência da dupla fenda, como nos lembrou nosso amigo André Luiz Figueiredo, nos dá outra prova de que a realidade física é criada pela observação, pois enquanto você não observa o elétron, ele está em uma superposição de ondas de POTENCIALIDADES, de ondas de POSSIBILIDADES, e nesse estado ele está simplesmente em infinitos lugares ao mesmo tempo, nesse estado ele não tem existência física "real" no nosso universo, e portanto passa pelas duas fendas ao mesmo tempo, até que se faça uma observação sobre ele que destrói esta superposição de estados, e aí, e somente aí, o elétron é visto passando por apenas uma das fendas, agora como um objeto "real" no nosso universo. Outro ponto que também nos dá evidências de que as ondas relacionadas à superposição não são materiais; e portanto que a "matéria" que é uma expressão, um fenômeno, que aparece no nosso universo após o colapso, destruição, da função de onda associada a um determinado elemento de realidade, função de onda que descreve sua superposição de estados lembrando que a equação de Schroedinger descreve dois estados do sistema físico, um em existência potencial e outro em existência "real" no nosso universo, existência "real" definida que surge após o colapso instantâneo da superposição, em que apenas um dos estados potenciais surge como realidade definida, objetiva, no nosso universo; pode ser observado no processo do colapso da função de onda, que se dá de forma instantânea, sem nenhum lapso de tempo, o que se constitui mais uma vez em prova de que a matéria não poderia estar pré-existindo como realidade física do nosso universo, pois isso violaria a Teoria da Relatividade Especial de Einstein que proíbe que qualquer coisa "real" do nosso universo, se mova com velocidade superior a da luz, o que mais uma vez nos faz ver que estas ondas apresentadas na equação de Schroedinger descrevem que o sistema existia de outra forma antes de colapsar, pois se elas fossem feitas do mesmo tipo de matéria que existe no nosso universo, o colapso da superposição de estado, o colapso desta superposição de ondas,  não poderia ser instantâneo, ele seria limitado à velocidade da luz. Há décadas que existe o debate Sobre a Observação Criar a Realidade Física, na cúpula da alta física, os envolvidos nisso são algumas das maiores mentes do planeta e estão entre os maiores físicos do mundo, e a conclusão que ainda se mantém como dominante, majoritária, é a de que A OBSERVAÇÃO É QUE CRIA A REALIDADE FÍSICA. Como já disse, experiências como as realizadas por uma das maiores autoridades em mecânica quântica experimental do mundo que é o Anton Zeilinger, Teoremas importantíssimos da Mecânica Quântica como o do prêmio Nobel de física Anthony Leggett, teorias que falam que é a INFORMAÇÃO que cria a nossa realidade física, que é a informação que cria a matéria e a energia, ela é mais fundamental do que as duas, como também teorias como O PRINCÍPIO HOLOGRÁFICO e O PRINCÍPIO MATEMÁTICO, DA FÍSICA, que dizem que a realidade é criada a partir de INFORMAÇÕES MATEMÁTICAS, e teorias cosmológicas como as do UNIVERSO CRIADO POR OBSERVADOR, do grande físico Stephen Hawking e de outros físicos, e a teoria do UNIVERSO PARTICIPATIVO (que também implica que é a consciência, a mente, quem cria a realidade física) , criada pelo também grande físico John Wheeler, as quais vão mais além e fundamentadas no fenômeno da escolha retardada, fenômeno comprovado pela mecânica quântica, dizem que as OBSERVAÇÕES FEITAS DO FUTURO CRIAM A REALIDADE FÍSICA, INCLUSIVE A DO PASSADO. Nós não vemos a observação criar a realidade física no nosso nível macroscópico de existência por causa de um fenômeno que os físicos chamam de descoerência, fenômeno que mantêm os corpos com maior massa (que contêm maior número de átomos) no estado colapsado de realidade objetiva definida no nosso universo, pois o estado de superposição de estados é extremamente delicado e colapsa facilmente quando perturbado, o que acontece facilmente com sistemas maiores devido a processos quânticos relacionados a emaranhamentos quânticos.

Richard Feynman, prêmio Nobel de física e um dos criadores da Eletrodinâmica Quântica, disse que ninguém entendia a mecânica quântica. Ele falava para os seus alunos "cala a boca e calcule" traduzindo, não pense sobre o que seja a mecânica quântica, sobre o que seja a realidade descrita por ela, posição completamente equivocada e antiga que não é praticada hoje, pois hoje muitos grandes físicos querem saber o que é, dentro do possível, a realidade que nos é apresentada pela mecânica quântica. Eu mesmo demorei muitos anos para me convencer de que é a observação que cria a realidade física, tive que ler centenas de livros escritos pelos maiores físicos do mundo para daí chegar à compreensão do entendimento e conclusão, majoritário, deles sobre esse assunto, e esta relação de livros em breve disponibilizarei no Portalsaber para servir de roteiro para quem quiser aprofundar mais o conhecimento nesta área. No site do Portalsaber (
www.portalsaber.org) eu publiquei alguns textos falando sobre esse assunto e coloquei umas duas sequências de documentários onde alguns dos maiores físicos do mundo, nos falam sobre a mecânica quântica e suas principais descobertas, nos explicam as descobertas mais importantes. Nós espíritas temos que ficar muito agradecidos a Deus, por Ele ter permitido que essa Teoria Fantástica, chegasse até nós. Esta conclusão de que, possivelmente, seja a observação que cria a realidade física, é o passo, degrau, anterior, é o PENÚLTIMO passo, para a fundamentação de André Luiz quando ele nos diz que é O PENSAMENTO QUEM CRIA A REALIDADE FÍSICA. Será "coincidência" a mecânica quântica ter sido apresentada como teoria vitoriosa ao mundo em 1927, na conferência de Solvay, e também em 1927 ser apresentado ao mundo o segundo maior fenômeno mediúnico de todos os tempos, depois naturalmente do Cristo, segundo maior fenômeno que foi a mediunidade de Chico Xavier? Por que estou relacionando os dois eventos que ocorreram na mesma data? Porque a Mecânica Quântica é uma ferramenta fundamental para nos ajudar a entender, compreender, e a fundamentar como possível, muitas coisas que o espírito de André Luiz, de Emmanuel, e os espíritos que trabalharam com Kardec, nos disseram. Também porque a MECÂNICA QUÂNTICA é a principal teoria científica que nos dá a fundamentação para admitirmos, pelo menos como possibilidade, a existência de fenômenos ABSOLUTAMENTE "MÁGICOS" E ASSOMBROSOS, impressionantes, ocorrendo no nosso universo, e quem sabe também fora dele, nos convencendo que de fato "HÁ MUITO MAIS ENTRE O CÉU E A TERRA DO QUE SUPÕE NOSSA VÃ FILOSOFIA" como bem disse William Shakespeare, famoso dramaturgo e poeta inglês. Como poderia ser diferente, se a Mecânica Quântica ao descobrir e explicar o que é a REALIDADE FÍSICA, o que é a NATUREZA, claro que dentro do possível, nos REVELOU a existência de fenômenos absolutamente ASSOMBROSOS e "MÁGICOS", existindo e ocorrendo no nosso universo, que fazem parte do funcionamento do nosso Universo, da nossa Realidade Física? Se esses fenômenos assombrosos descritos e descobertos pela Mecânica Quântica existem, fazem parte do nosso Universo, por que não poderiam existir os fenômenos relacionados à Realidade Espiritual, relacionados ao Mundo Espiritual? Eles não poderiam existir porque são fantásticos demais, assombrosos demais, "mágicos" demais? Mas os fenômenos descobertos e revelados pela Mecânica Quântica também não o são, e no entanto eles existem, são reais, acontecem de fato no nosso Universo? Por que podemos acreditar na existência de um e não acreditar na existência do outro, sendo que todos os dois tipos de fenômenos, os revelados pela Mecânica Quântica e os atribuídos ao Mundo Espiritual, são IGUALMENTE "MÁGICOS", ESPETACULARES, E ABSOLUTAMENTE ASSOMBROSOS? Se constatamos que um deles existe, no caso os fenômenos revelados Mecânica Quântica, a lógica nos impõe que não seja absurdo admitirmos a real possibilidade da existência do outro, dos fenômenos relacionados à Realidade Espiritual, relacionados ao Mundo Espiritual.

O amigo Marcus Vinícius Russo Loures, que é físico, nos traz a seguinte colaboração: "Ainda estamos nos primórdios da Mecânica Quântica, temos muito a compreender sobre esse mundo estranho, mas receio que a realidade não seja algo apenas que sofra interferência do indivíduo e partilho da posição de que a realidade é criação do sujeito. Se isso não se manifesta em sua força para nós, é porque, como disse Jesus, temos uma fé (vontade ) do tamanho de um átomo ou mesmo de um elétron (se tanto) e não conseguimos atuar no fluido (ou na superposição de estados, acrescento eu) de forma a impor nossa vontade, criando a realidade desejada. Deixo aqui um trecho que acabei de ler nesse exato momento, da obra "Cartas de uma morta" de Maria João de Deus, a mãe do Chico Xavier. Aliás, é a segunda obra psicografada por ele, depois do Parnaso do além túmulo:

"Na vida livre, o pensamento é quase tudo. Não há nelas formas determinadas como no mundo da matéria; e tudo se subordina aos ditames de uma vontade potente."

E mais um trecho, tratando da lei da gravitação:
"Não suponhas que vais te mergulhar nas extensões aquosas dos oceanos terrestres; o receio é injustificável porque a lei da gravitação agora está subordinada ao teu íntimo querer. Já não estás sob as leis físico-químicas da matéria, cujas medidas e pesos nada mais significam para nós. Pensa no local aonde mais desejaria retornar, idealiza-o na mente segundo suas lembranças e a vontade te guiará ao lugar de tuas preferências." (1995, p.49)

Vamos refletir que ainda conhecemos senão um ínfimo pedaço da verdade..."

O amigo André Luiz Figueiredo nos traz:

"Em certo sentido o umbral é uma criação mental...
Talvez haja uma dicotomia, pois que a matéria é influenciável pela mente diretamente, mas há um limite intrínseco ao nosso estado evolutivo, além do qual não podemos interferir.
No entanto há espíritos infinitamente mais evoluídos do que nós, que não têm mais limites de influências sobre a matéria, mas que tenham adquirido uma sabedoria intangível por nós, e que poderiam provavelmente dirigir o comportamento da matéria......"


Dauro Mendes

sexta-feira, 17 de maio de 2013

6º Encontro Nacional dos Amigos de Chico Xavier e sua Obra


Será realizado nos dias 12 e 13 de Outubro de 2013 no Teatro Guararapes - Centro de Convenções de Pernambuco em Recife, com inscrição gratuita.

A ficha de inscrição já se encontra disponível no site do Seara de Deus: www.searadedeus.org.br

A inscrição é necessária, porém gratuita!



O GRANDE FÍSICO MICHIO KAKU FALA DE DEUS, DE UNIVERSOS PARALELOS, DO FIM DO NOSSO UNIVERSO, E DE MUITAS OUTRAS COISAS IMPORTANTES




A lucidez, inteligência, o enorme conhecimento e a reconhecida cultura do grande físico teórico Michio Kaku. Na entrevista abaixo ele fala de Deus, de universos paralelos, do fim do nosso universo (pois como se diz "o que há de permanente é a mudança" tudo tem que ser reciclado, tudo tem que se transformar, nada pode ser condenado a permanecer para sempre no mesmo estado, eternamente, inclusive o nosso universo, que também acabará, e surgirão então outros universos sempre, onde novos ciclos evolutivos e novas humanidades, novos atores, desempenharão os seus papeis nos novos palcos, em novos cenários.) e de muitas outras coisas importantes.



 
 

 

Dauro Mendes

quinta-feira, 16 de maio de 2013

A OBSERVAÇÃO E A INFORMAÇÃO CRIANDO, POSSIVELMENTE, A REALIDADE FÍSICA



 A OBSERVAÇÃO E A INFORMAÇÃO são quem criam, possivelmente, a realidade física, são a origem da realidade física. Vejam no documentário abaixo as fantásticas explicações do professor de física teórica da importante Universidade de Oxford, Vlatko Vedral. Estaríamos testemunhando, possivelmente, passos importantes na direção da fundamentação, através da física, das questões relacionadas à ESPIRITUALIDADE, graças à Mecânica Quântica? A maior fonte geradora de informação inteligente é A CONSCIÊNCIA, É O ESPÍRITO, que também é a principal fonte geradora de observação, a consciência está sempre, também, observando. Brian Josephson, prêmio Nobel de física, disse que é O ESPÍRITO quem cria a realidade física; Sir James Jeans, importante físico do século XX, disse que o universo se assemelha mais A UM GRANDE PENSAMENTO do que a uma máquina; Sir Arthur Eddington, outro importante físico do século XX, disse que O ESPÍRITO é a matéria prima do universo; John Archibald Wheeler, um dos maiores físicos do século XX e um dos maiores de todos os tempos, disse que se deveria parar de nos chamar de observadores e nos chamar na verdade de PARTICIPANTES que criam a realidade física; Robert Jahn, importante físico da Universidade de Princeton, uma das maiores instituições de física do mundo, disse que o que mais o impressionava era que a MENTE não só observa, a MENTE CRIA a realidade; Werner Heisenberg, prêmio Nobel de física e um dos pais da mecânica quântica, disse que a realidade física é criada através da MATEMÁTICA PURA, que se traduz em informações expressadas através de equações matemáticas; Max Tegmark, importante cosmólogo do MIT (Massachussets Institute of Technology, também uma das maiores instituições de física do mundo) é mais um importante defensor do Princípio Matemático da física, que nos diz que toda a realidade é criada a partir da matemática pura; e Platão, um dos maiores e mais profundos filósofos de todos os tempos, disse que a nossa realidade é uma projeção (uma sombra) criada por UMA REALIDADE MAIOR E MAIS PERFEITA.

DEUS É A MAIOR DE TODAS AS FONTES GERADORAS DE INFORMAÇÃO E O MAIOR OBSERVADOR DE TODOS. A Mecânica Quântica ao nos mostrar que a realidade física é, possivelmente, criada pela OBSERVAÇÃO e pela INFORMAÇÃO, definitivamente nos dá evidências e fundamentações para admitirmos a possibilidade de existência DA MAIOR DE TODAS AS FONTES GERADORAS DA REALIDADE FÍSICA E DO MAIOR OBSERVADOR DE TODOS, que é DEUS.

 
 
 
 
 


OBSERVAÇÃO: O documentário está em espanhol.
 
 
Dauro Mendes

segunda-feira, 13 de maio de 2013

PODSABER Especial Recordando Chico Xavier #5 - em Belo Horizonte


Neste episódio, contaremos casos do Chico Xavier na cidade de Belo Horizonte nas décadas de 1940 e 1950.




Ficha Técnica:

Técnico de Gravação: Marco Gandra
Design:Thiago Panegassi
Edição: Denis Perdigão
Webmaster: Marco Gandra / Henrique Lisboa
Participantes: Silvana Saldanha, Marconi Gomes, Marco Gandra, Dauro Mendes, Guilherme de Barros, Geraldo Lemos Neto, Luis Sérgio Marotta,  Henrique Lisboa, Lívia Dias 

Músicas:

Chico Xavier - Fábio Jr
Falar a verdade - Cidade Negra





Para baixar o arquivo MP3, clique com o botão direito do mouse sobre o link e escolha a opção"Salvar link como" ou clique no botão de play do youtube (acima), para ouvir o episódio.

Amigos por gentileza testem a nova iniciativa do Portal Saber, um aplicativo para celular que permitirá ouvir o PODSABER.

Celulares/Tablets com Androd (direto na Google Play Store) use este link:

http://goo.gl/okohZ

iPhone e iPad e demais celulares que aceitem aplicativos Java, use este link:

http://universo.mobi/podsaber

Digite este endereço no navegador do seu celular ou fotografe o código abaixo com o leitor de código de barra do seu telefone:




CAMPANHA – mais espaço para armazenar os episódios do PODSABER.


Amigo ouvinte, os episódios do PODSABER são armazenados no sistema gratuito Dropbox, contudo o espaço é limitado. Auxilie-nos na obtenção de mais espaço e para isso basta cadastrar-se no Dropbox pelo endereço http://db.tt/stEYZVZI (só vale se for por esse endereço) e assim você ganhará GRATUITAMENTE 2GB em disco virtual e o Portal Saber ganhará 500MB por cada pessoa que assinar o serviço, e esse espaço de armazenamento será usado na disponibilização de mais episódios do nosso PODCAST. 






Por favor compartilhem, cliquem nos ícones do Facebook, Orkut, G+ e Twitter abaixo.

domingo, 12 de maio de 2013

HOJE É DIA DAS MÃES - PARABÉNS NOSSAS QUERIDAS OUVINTES

Como presente temos um belíssimo vídeo!!!

"A maternidade é um segredo entre a mulher e Deus. A participação do homem é ínfima, na maternidade, a participação da mulher é tocada de alegria e de dor, de tormento e de sofrimento, de prazer e de responsabilidade, desde que o filho nasce, até o último dia da mulher sobre a Terra. E sabe lá Deus se, depois desta Vida, quantas lutas sofrem as mães em auxílio aos filhos que deixaram neste mundo!" 

(Obra: O Evangelho de Chico Xavier - Carlos A. Baccelli)


Maria Dolores
Francisco Cândido Xavier

Depois de muito tempo,
sobre os quadros sombrios do calvário.
Judas, cego no além, errava solitário...
Era triste a paisagem, o céu era nevoento...

Cansado de remorso e sofrimento,
Sentara-se a chorar...
Nisso, nobre mulher de planos superiores,
Nimbada de celestes esplendores,
Que ele não conseguia divisar,
Chega e afaga a cabeça do infeliz.
Em seguida, num tom de carinho profundo,
Quase que em oração ela diz:
- Meu filho, porque choras?

Acaso não sabeis? – replica o interpelado,
Claramente agressivo.
Sou um morto e estou vivo.
Matei-me e novamente estou de pé,
Sem consolo, sem lar, sem amor e sem fé...
Não ouvistes falar em Judas, o traidor?
Sou eu que aniquilei a vida do Senhor...
A princípio, julguei poder fazê-lo rei,
Mas apenas lhe impus, sacrifício, martírio, sangue e cruz.
E em flagelo e aflição
Eis que a minha vida agora se reduz...
Afastai-vos de mim,
Deixai-me padecer neste inferno sem fim...
Nada me pergunteis, retirai-vos senhora,
Nada sabeis da mágoa que me agita...
O assunto que lastimo é unicamente meu...

No entanto a dama calma respondeu:
- Meu filho, sei que choras, sei que lutas,
Sei a dor que causa o remorso que escutas...
Venho apenas falar-te
Que Deus é sempre amor em toda parte...
E acrescentou serena:
- A bondade de Deus jamais condena:
Venho por mãe a ti, buscando um filho amado.
Sofre com paciência a dor e a prova.
Terás em breve, uma existência nova...
Não te sintas sozinho ou desprezado!

Judas interrompeu-a e bradou, rude e pasmo:
- Mãe? Não venhais aqui com mentira e sarcasmo.
Depois de me enforcar num galho de figueira,
Para acordar na dor,
Sem mais poder fugir à vida verdadeira.
Fui procurar consolo e força de viver.
Ao pé da pobre mãe que forjara o ser !..
Ela me viu chorando e escutou meus lamentos.
Mas teve medo dos meus sofrimentos.
Expulsou-me a esconjuros,
Chamou-me monstro, por sinal
Disse que eu era
Unicamente o espírito do mal,
Intimidou-me a terrível retrocesso,
Mandando que apressasse o meu regresso
Para a zona infernal de onde eu vinha...
Ah ! Detesto lembrar a horrível mãe que eu tinha...
Não me faleis de mães, não me faleis de amor,
Sou apenas um monstro sofredor...

Inda assim – disse a dama docemente:
- Por mais recuses, não me altero,
Amo-te filho meu, amo-te e quero
Ver-te de novo a vida
Maravilhosamente revestida
De paz e luz, de fé e elevação...
Virás comigo à terra,
Perderás pouco a pouco, o ânimo violento,
Terás o coração
Nas águas de bendito esquecimento.
Numa existência de esperança,
Levar-te-ei comigo
A remansoso abrigo.
Dar-te-ei outra mãe ! Pensa e descansa !...

E Judas neste instante.
Como quem olvidasse a própria dor gigante,
Ou como quem se desgarra
De pesadelo atroz,
Perguntou: - quem sois vós?
Que me falais assim, sabendo-me traidor?
Sois divina mulher, irradiando amor,
Ou anjo celestial de quem pressinto a luz?

No entanto ela a fitá-lo frente a frente,
Respondeu simplesmente:
- Meu filho, eu sou a mãe de Jesus!!!

Do livro "Momentos de Ouro", Maria Dolores (Espírito), Francisco C. Xavier (psicografia)

Por favor compartilhem, cliquem nos ícones do Facebook, Orkut, G+ e Twitter abaixo.

sábado, 11 de maio de 2013

ESTARÃO CHEGANDO JÁ, ATRAVÉS DAS DESCOBERTAS DA CIÊNCIA, OS APARELHOS QUE PODERÃO LER OS NOSSOS PENSAMENTOS E SONHOS?



Se estas descobertas que relatamos abaixo se confirmarem, estaremos vendo mais uma vez a fundamentação para o que o espírito de André Luiz, através da psicografia de Chico Xavier, nos disse, nos trouxe, como informação, nos livros "Os Mensageiros", Missionários da Luz", "Nos Domínios da Mediunidade", entre outros, de que existiriam no Plano Espiritual aparelhos utilizados pelos espíritos socorristas nos seus trabalhos, que leriam o
pensamento e o estado mental, vibracional, dos espíritos que estavam sendo ajudados, sendo que alguns aparelhos, por exemplo, conseguiriam projetar o pensamento do espírito em uma tela (tipo um vídeo) para que os socorristas vissem o que se passava realmente com ele no interior de sua MENTE, que é a fonte de toda a realidade, para a partir daí ministrarem o mais adequado tratamento para ele, naquele momento. Outro aparelho relatado é o PSICOSCÓPIO, que, dentre várias coisas, é usado também para ver o estado vibracional do espírito, a sua real condição espiritual, que se reflete e se traduz nas vibrações que o espírito produz, gera, o que ajuda os espíritos socorristas, que trabalham auxiliando os outros, a identificarem a real situação espiritual daquele ser que será ajudado.

Muitas vezes achamos esquisito e curioso os espíritos terem que usar aparelhos, algumas vezes, em alguns de seus trabalhos. A imagem que muitos têm é que o mundo espiritual seria uma "abstração" e os espíritos não precisariam mais de se utilizarem de "coisas materiais". Eles lançariam mão de "milagres" e de verdadeiras "mágicas". Quem pensa assim se esquece que Deus não nos dá nada sem que nos esforcemos e trabalhemos muito para merecer. Os nossos reais poderes e assombrosas capacidades espirituais serão conquistados através de muito trabalho, através de muito estudo, e através do nosso mérito próprio, é a meritocracia, eles virão no tempo certo . Tudo tem de ser conquistado e merecido. Sendo assim, para que servem os aparelhos, porque nós nos utilizamos deles, lançamos mão deles? Eles servem para intermediarem, permitirem, facilitarem, os trabalhos, os  processos, e as ações, específicas, que precisamos realizar e que ainda, devido às nossas várias limitações físicas e às de toda ordem, não conseguimos fazer sem usarmos instrumentos, aparelhos, equipamentos, que intermediam e que nos permitam realizar os trabalhos, processos e ações necessárias. O espírito na medida que evolui, ele vai conquistando cada vez mais os seus poderes e capacidades espirituais, mentais, e passa a não precisar, cada vez mais, dos aparelhos, instrumentos, equipamentos, que como dissemos são dispositivos de intermediação que permitem ao espírito realizar determinados processos e ações físicas específicas. Sua MENTE passa a ser o grande instrumento que realiza ações físicas no Multiverso, instrumento que constrói de fato realidades físicas, a mente sendo o instrumento que tudo faz e que tudo pode fazer, claro que dentro dos limites impostos e das reais condições espirituais daquele espírito, sendo permitido poderes e capacidades diferenciados cada vez maiores, e que ao que tudo indica esses poderes e capacidades crescem em direção ao infinito, de acordo com o grau evolutivo de cada ser. Allan Kardec em A Gênese, no capítulo que trata sobre os fluidos, diz que a MENTE é para o espírito o que a mão é para o homem encarnado, ou seja, ela produz ações físicas, inclusive mecânicas, na realidade exterior ao espírito. Freeman Dyson, um dos maiores físicos da segunda geração de físicos quânticos, disse que a MENTE dominar a matéria é UM PRINCÍPIO UNIVERSAL.

Começamos usando aparelhos para intermediar as ações e os processos, depois evoluiremos para a telepatia, para a telecinesia, e para outras coisas mais, para, por exemplo, o uso de processos
telepáticos, com a qual uma mente interage diretamente com a outra mente, capta, sente, percebe, os padrões mentais gerados pela outra mente Como já dissemos em ocasiões anteriores, as descobertas da Mecânica Quântica nos ajudam a admitir a POSSIBILIDADE da telepatia ser um fenômeno verdadeiro ao nos mostrar que talvez, tudo na verdade faça parte de UM ÚNICO TODO instantaneamente interconectado com tudo, e então uma mente não estaria na verdade separada das outras mentes. Erwin Schroedinger, prêmio Nobel de física e um dos criadores da Mecânica Quântica, disse que a multiplicidade das mentes é uma ilusão e que em verdade, o que existia era apenas UMA SÓ E ÚNICA MENTE. O espaço, como um elemento separador de coisas, de elementos de realidade, passa a ser uma ilusão, um fenômeno de segunda ordem, secundário, gerado para as nossas necessidades temporárias.

A superposição de possíveis estados de realidade. implica na constituição de um sistema único caracterizado pela superposição de vários estados possíveis; a Não Localidade no, e do, Universo que nos mostra que possivelmente tudo esteja instantaneamente interconectado, interligado, com tudo, o salto quântico que o elétron dá instantaneamente de um nível de energia para o outro, no interior do átomo, sem atravessar a região do espaço que separa os níveis de energias diferentes, nos sugerem que o espaço na verdade é um efeito ilusório de segunda ordem, secundário, como também possa ser o tempo, criado e gerado para as nossas necessidades evolutivas do momento, o que nos leva a concluir, pelo menos como possibilidade, que tudo faz parte de um único todo instantaneamente interconectado com tudo. (Para ver mais sobre a fundamentação disto, acesse a publicação que fizemos no Portalsaber intitulada "O CONDENSADO DE BOSE-EINSTEIN NOS AJUDA A FUNDAMENTAR A UNICIDADE, A TOTALIDADE NO, E DO, UNIVERSO? UNICIDADE E TOTALIDADE NO, E DO, UNIVERSO NOS SUGEREM A EXISTÊNCIA DE DEUS?

Albert Einstein falou que se a Não Localidade (que implica em ação instantânea a distância, não importando de fato o tamanho desta distância, ação que ele chamou de AÇÃO FANTASMAGÓRICA) no, e do, Universo; uma das principais descobertas realizadas pela Mecânica Quântica não só pelas suas consequências no que diz respeito ao entendimento possível da realidade física, ao entendimento da natureza, às aplicações decorrentes desta descoberta em outros trabalhos de pesquisa na física pura e na aplicada, como também pelas consequências filosóficas e metafísicas importantíssimas que decorrem desta descoberta da Não Localidade no, e do, nosso Universo; Einstein falou que se a Não Localidade fosse uma verdade, e para a nossa felicidade tudo até agora indica que seja, a TELEPATIA seria uma REALIDADE, uma verdade, também. Então, segundo Einstein, a TELAPATIA é uma Realidade.

Vejam abaixo que interessante essas notícias, nos textos e no vídeo que estamos disponibilizando. Geraldo Lemos nos disse que certa vez o Chico Xavier lhe falou que a ciência praticada em colônias espirituais como Nosso Lar, está em torno de 100 anos na frente da ciência que praticamos do lado de cá da realidade. Fazendo-se rapidamente pequenos cálculos, vemos que a série de livros que descrevem os trabalhos, processos, e a vida no Plano Espiritual, bem como suas consequências morais, psicografados pelo espírito de André Luiz através do Chico  Xavier, datam da década de 50 do século XX, o que em relação aos dias de hoje dá uma diferença de aproximadamente 60 anos para que um tipo de instrumento utilizado por espíritos, que ainda precisavam eventualmente utiliza-los naquela época, comecem a chegar aqui para nós. Deus não dá asas às cobras.

Se estas descobertas forem verdadeiras e se confirmarem, isto será SENSACIONAL. O vídeo mostra a pesquisa realizada em uma das mais importantes universidades americana, que é a Universidade da Califórnia, Campus de Berkeley, onde um aparelho lê a mente do gato e reproduz o que ele está vendo. Este vídeo foi achado pelo nosso amigo Cristiano Miranda. Em um dos textos vemos que a pesquisa foi publicada pela Nature, que uma é das mais importantes revistas de publicações científicas do mundo.

O vídeo apresenta a importantíssima pesquisa, realizada na Universidade da Califórnia, onde aparelhos "leem" o que a mente de um gato está enxergando, é sensacional.



clique na imagem para ampliar ou clique com o botão direito para salvar

clique na imagem para ampliar ou clique com o botão direito para salvar




Anuário espírita 2010 (pgs 114 e 115, Editora IDE)


PENSAMENTO E MATÉRIA

“O progresso tecnológico constatará cientificamente a vida espiritual"

(Boletim SEI, Rio, RJ, 8/11/2008.)

Cientistas americanos desenvolveram uma técnica capaz de identificar as imagens vistas por uma pessoa.
Para esse feito, os pesquisadores da Universidade da Califórnia criaram um programa que analisa imagens por ressonância magnética captadas do córtex no instante em que as pessoas analisadas olhavam para uma série delas. Nos testes realizados pelos cientistas, o programa identificou nove em cada dez imagens.

A nova técnica, segundo os estudiosos, abre caminho para a criação de um aparelho que eventualmente seja capaz de fazer a leitura da memória ou dos sonhos ao reconstruir as impressões visuais. “Em breve talvez sejamos capazes de reconstruir a imagem de uma experiência visual apenas ao observar a atividade do cérebro. Imagine um aparelho que faz leituras do pensamento, capaz de reconstruir a imagem da experiência visual de uma pessoa em qualquer momento” – disse Jack Gallant, que chefiou o estudo. 

Embora otimistas, os cientistas ressaltam que, por enquanto, a técnica só pode ser usada em imagens estáticas já que os aparelhos de ressonância magnética conseguem fazer apenas uma leitura a cada três ou quatro segundos, o que impossibilita a decodificação da atividade cerebral no caso de imagens em movimento.

A descoberta foi divulgada em março pela revista científica Nature, conforme a reportagem “Cientistas criam técnica que lê imagens captadas pela mente”, publicada naquele mês pela BBC Brasil. 

*

À medida que progride tecnologicamente, o ser humano vai mais e mais se encaminhando para a constatação científica da vida espiritual. E o estudo do pensamento, certamente, muito contribuirá nesse sentido. Adiantandose, contudo, a muitas descobertas humanas, a Doutrina Espírita tem trazido à Terra, há mais de 150 anos, notícias que valem ser observadas mais atentamente. É o caso das narrativas de André Luiz, que mostra, por exemplo, em seu livro Mecanismos da mediunidade,psicografado por Chico Xavier e Waldo Vieira, como o pensamento produzido no mundo físico repercute na realidade espiritual.

“Como alicerce vivo de todas as realizações nos planos físico e extra físico, encontramos o pensamento por agente essencial. Entretanto, ele ainda é matéria,a matéria mental, em que as leis de formação das cargas magnéticas ou dos sistemas atômicos prevalecem sob novo sentido, compondo o maravilhoso mar
de energia sutil em que todos nos achamos submersos e no qual surpreendemos elementos que transcendem o sistema periódico dos elementos químicos conhecidos no mundo” – afirma o benfeitor espiritual no capítulo “Matéria mental”, onde também explica como os pensamentos da criatura determinam a sua condição vibratória, imprimindo no seu halo vital ou aura não só uma frequência determinada mas cor peculiar.

André Luiz, no capítulo 2 do livro Nos domínios da mediunidade,psicografado por Chico, fala ainda sobre um aparelho do plano espiritual denominado psicoscópio, através do qual os Espíritos conseguem identificar, sem acurada concentração mental, as vibrações dos encarnados e observar-lhes a matéria. Vale destacar também neste capítulo as palavras ditas a André Luiz pelo instrutor espiritual Áulus, que lhe apresentou o psicoscópio: “O estudo da mediunidade repousa nos alicerces da mente com o seu prodigioso campo de radiações. A ciência dos raios imprimirá, em breve, grande renovação aos setores culturais do mundo. Aguardemos o porvir”.






ILUSTRADO POR HENRIQUE LISBOA




Dauro Mendes 

quinta-feira, 9 de maio de 2013

10º Encontro de Espiritismo em Jacareí acontece de 7 a 9 de junho na Câmara Municipal

Geraldo Lemos Neto faz palestras no sábado e no domingo, 7 e 8 - Entrada franca nas palestras, seminários e feira do livro. Quem quiser pode doar 1kg de alimento não perecível ou de ração animal



quarta-feira, 8 de maio de 2013

CAMPANHA – Mais espaço para armazenar os episódios do PODSABER.


Amigo ouvinte, os episódios do PODSABER são armazenados no sistema gratuito @Dropbox, contudo o espaço é limitado. Auxilie-nos na obtenção de mais espaço e para isso basta cadastrar-se no Dropbox pelo endereço http://db.tt/stEYZVZI (só vale se for por esse endereço). Assim você ganhará GRATUITAMENTE 2GB em disco virtual e o Portal Saber ganhará 500MB por cada pessoa que assinar o serviço. Esse espaço de armazenamento será usado na disponibilização de mais episódios do nosso PODCAST. 

Por favor, compartilhe esse apelo para quer possamos obter sucesso na campanha. Muito obrigado – PORTAL SABER

sábado, 4 de maio de 2013

O CONDENSADO DE BOSE-EINSTEIN NOS AJUDA A FUNDAMENTAR A UNICIDADE, A TOTALIDADE NO, E DO, UNIVERSO? UNICIDADE E TOTALIDADE NO, E DO, UNIVERSO NOS SUGEREM A EXISTÊNCIA DE DEUS?



Condensado de Boson-Eistein
Satyendra Nath Bose e Albert Einstein
 No documentário sobre o Condensado de Bose-Einstein que se segue mais abaixo, o professor de física do MIT ( Massachussets Institut of Technology ), que é uma das maiores instituições de física do mundo, nos apresenta o ASSOMBROSO fenômeno, o qual é mais uma das evidências, possivelmente, de que tudo emerge do TODO, da TOTALIDADE, pois ao baixarmos a temperatura de um conjunto específico de átomos, chegando próximo do zero absoluto, os átomos se transformam em ondas, as quais vão se ampliando e se superpondo até se TORNAREM UMA ÚNICA ONDA. Os átomos neste processo perdem as suas identidades individuais e se transformam num TODO ÚNICO, se transformam em um SISTEMA ÚNICO regido por uma ÚNICA FUNÇÃO DE ONDA. Isto é ASSOMBROSO!!!

Quero lembrar que a superfluidez, a supercondutividade e os lasers são exemplos de fenômenos que envolvem os condensados de Bose-Einstein.
Condensado de Boson-Eistein
Descoberta de um novo estado da
matéria a partir de um gás de Rubídio
Somando-se a isso temos as GUTs ( Grandes Teorias de Unificação da física ), as teorias de Simetria e de Super-Simetria da física, que nos mostram que, possivelmente, tudo surge de UMA COISA ÚNICA, de UM SÓ TODO, de UM SUPER CAMPO, de uma SUPER-SIMETRIA, que ao se quebrar dá origem à diversidade, à variedade, que vemos no universo.  Acrescentando-se a tudo isto, temos uma das maiores descobertas da mecânica quântica que é a NÃO LOCALIDADE do, e no, universo que nos mostra que, possivelmente, tudo faz parte de UM ÚNICO TODO e que TUDO ESTÁ INSTÂNTANEAMENTE INTERCONECTADO COM TUDO. Somos levados então à possível conclusão de que surgimos, que fomos criados, DO TODO, ou seja, surgimos de DEUS que é O TODO MAIOR. Aqui lembramos do Cristo que dizia: " EU E O PAI SOMOS UM ". Nos lembramos também dos filósofos pré-socráticos ( como por exemplo Parmênides, Anaxímenes, etc. ) que diziam que tudo sai do UNO, emerge do UNO e também de Plotino, o maior dos filósofos neoplatônicos, que também acreditava que tudo emerge do UNO. 

chico xavier - emmanuel
Livro Emmanuel
Vejam esta pergunta que foi feita ao Emmanuel e que está no livro  "EMMANUEL", psicografado pelo Chico Xavier em 1938, na página 171, terceiro parágrafo:
  
Pergunta: Todos nós temos consciência dos princípios de unidade e variação, ou de universalidade e individualidade, que funcionam juntos em nosso mundo. Onde se encontra o ponto de interação, ou lugar de reunião desses dois termos opostos?

Resposta do Emmanuel:  Se temos aí consciência dos princípios de unidade e variação, ainda aqui os observamos, sem haver descoberto o seu ponto íntimo de união.
 Todavia, o princípio soberano de unidade absorve todas as variações, crendo nós que, sem perdermos a consciência individual no transcurso dos milênios, chegaremos a reunir-nos no GRANDE PRINCÍPIO DA UNIDADE, que é a PERFEIÇÃO. 

Esta resposta do Emmanuel nos faz concluir que tudo (e todos) faz parte de uma coisa só, que só existe UMA COISA SÓ, A ESSÊNCIA DIVINA, DEUS, e nós seríamos expressões, efeitos, variações, DESTA COISA ÚNICA. Não é à toa que os Espíritos nos falam que tudo que existe no mundo espiritual e no nosso mundo físico são transformações, apresentações variadas, expressões diversas, do FLUÍDO CÓSMICO UNIVERSAL, o HÁLITO DIVINO.


SOBRE O TEMPO E O ESPAÇO

Esta pergunta está na página 171 do mesmo livro citado acima.
Pergunta – O espaço e o tempo serão apenas formas viciosas do intelecto, ou terão uma expressão objetiva no esquema da realidade pura? E, neste último caso, quais serão as relações fundamentais entre espaço e tempo?

Resposta    No  esquema  das  realidades  eternas  e  absolutas,  tempo  e espaço não  têm expressões  objetivas;  se são propriamente formas viciosas do vosso intelecto, elas são precisas ao homem como expressões  de controle dos fenômenos da sua existência. As figuras, em cada plano de aperfeiçoamento da vida, são correspondentes à organização através da qual o Espírito se manifesta.

Quando Emmanuel diz que "No  esquema  das  realidades  eternas  e  absolutas,  tempo  e espaço não  têm expressões  objetivas", ele de certa forma está dizendo que tanto o espaço como o tempo são na verdade efeitos e fenômenos secundários e ilusórios mas necessários para o nosso momento e processo evolutivo. O que fundamenta esta possibilidade na física é o salto quântico que o elétron faz no interior do átomo onde ele instantaneamente salta de um nível de energia para o outro sem atravessar a região de espaço que separa os dois, o que nos faz questionar a realidade do espaço pois ele é um elemento separador que separa espacialmente uma coisa da outra e no caso o salto de um nível de energia atômico para outro se dá de forma instantânea o que nos faz questionar a realidade do espaço. Também a Não Localidade é outra descoberta da Mecânica quântica que nos faz questionar a realidade do espaço, pois a Não Localidade nos mostra que, possivelmente, tudo faz parte de um único todo instantaneamente interconectado, interligado. Instantaneidade implica em Totalidade sem real separação e novamente o conceito de espaço, como um elemento separador que separa as coisas, deixa de ser real, verdadeiro, deixa de ter sentido no caso, passando a ser somente um efeito "ilusório" de segunda ordem.

SOBRE O ESPÍRITO E  A MATÉRIA

Pergunta – Será licito considerar-se espírito e matéria como dois estados alotrópicos de um    elemento  primordial,  de  maneira  a  obter-se  a  conciliação  das  duas  escolas perpetuamente  em  luta,  dualista  e  monista,  chegando-se  a  uma  concepção  unitária  do Universo?

Resposta    É  licito  considerar-se  espírito  e  matéria  como  estados  diversos  de  UMA ESSÊNCIA  IMUTÁVEL,  chegando-se  dessa  forma  a  estabelecer  a  UNIDADE SUBSTANCIAL  do Universo.  Dentro, porém, desse monismo físico-psíquico, perfeitamente conciliável com a doutrina dualista, faz-se preciso considerar a matéria como o estado negativo e o espírito como  o  estado  positivo  dessa  SUBSTÂNCIA.  O  ponto  de  integração  dos  dois  elementos estreitamente  unidos  em  todos  os  planos  do  nosso  relativo  conhecimento,  ainda  não  o encontramos.
A  ciência  terrena,  no  estudo  das  vibrações,  chegará a conceber a  UNIDADE de todas as forças físicas e psíquicas do Universo. O homem, porém, terá sempre um limite nas suas investigações sobre a matéria e o movimento. Esse limite é determinado por leis sábias e justas, mas, cientificamente poderemos classificar esse estado inibitório como oriundo da estrutura do seu olho e da insuficiência das suas faculdades sensoriais.

Novamente aqui Emmanuel fala da UNIDADE, do UNO, a qual implica na TOTALIDADE.

Interessante também é a pergunta número 33 do Livro dos Espíritos que é a seguinte: A mesma matéria elementar é suscetível de experimentar todas as modificações e de adquirir todas as propriedades?
  
Resposta dos espíritos: " Sim e é isso o que se deve entender, quando dizemos que tudo está em tudo! "

Novamente temos aqui conceitos de UNIDADE, de TOTALIDADE.

Finalizando, o segundo princípio hermético nos traz o seguinte: " O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima. "

O segundo princípio do Hermetismo também implica na UNICIDADE, na TOTALIDADE.

"A física quântica assim revela a unicidade básica do Universo". ( ERWIN SCHROEDINGER, prêmio Nobel de física e um dos principais pais da mecânica quântica. Esta frase se deve à NÃO LOCALIDADE no, e do, universo, em que tudo faz parte de um único TODO instantaneamente interconectado com tudo, o que implica na TOTALIDADE, na UNICIDADE, e se deve também à existência da SUPERPOSIÇAO DE ESTADOS que implica em uma função de onda  única que rege todo o sistema e a qual não pode ser fatorada, decomposta, em seus termos iniciais que a constituíram, formando então assim um SISTEMA ÚNICO EM SUPERPOSIÇÃO DE ESTADOS, o que também implica na UNICIDADE, na TOTALIDADE.).

Na equação de Schroedinger vemos esta consequência física, filosófica e metafísica pois como as Matrizes de Heisenberg e a equação de Schroedinger nos mostraram, esta formulação matemática da mecânica quântica não é comutativa e não é fatorável significando que uma vez que o sistema entra em superposição de estados de energia, entra na sua forma de existência POTENCIAL (que é uma segunda forma de existência de acordo com Werner Heisenberg, prêmio Nobel de física e um dos principais criadores da Mecânica Quântica), se emaranha quanticamente, torna-se impossível reduzi-lo, decompô-lo, em seus termos, fatores, iniciais, passando o sistema a constituir um ÚNICO TODO, enquanto a sua superposição de estados não colapsar o que significa a destruição desta superposição, e daí, surgir um único estado de realidade física definida e objetiva no nosso universo. 


Trago aqui, dentre tantas coisas que poderia trazer, a título de exemplo, para complementar esta reflexão, a inestimável contribuição com a qual André Luiz nos presenteou no Livro "Mecanismos da Mediunidade", e que se encontra no começo do capítulo 4 do referido livro, a qual transcrevo abaixo.



Matéria mental


Pensamento do Criador

Definiremos o meio sutil em que o Universo se equilibra como sendo o FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL ou HÁLITO DIVINO, a força para nós inabordável que sustenta a Criação.

 "Identificando o FLUIDO ELEMENTAR ou HÁLITO DIVINO ( FLUÍDO CÓSMICO UNIVERSAL) por base mantenedora de todas as associações da forma nos domínios inumeráveis do Cosmo, do qual conhecemos o elétron como sendo um dos corpúsculos-base, nas organizações e oscilações da matéria, interpretaremos o Universo como um todo de forças dinâmicas, expressando o Pensamento do Criador. E superpondo-se-lhe à grandeza indevassável, encontraremos a matéria mental que nos é própria, em agitação constante, plasmando as criações temporárias, adstritas à nossa necessidade de progresso.

No macrocosmo e no microcosmo, tateamos as manifestações da Eterna Sabedoria que mobiliza agentes incontáveis para a estruturação de sistemas e formas, em variedade infinita de graus e fases, e entre o infinitamente pequeno e o infinitamente grande surge a inteligência humana, dotada igualmente da faculdade de mentalizar e co-criar, empalmando, para isso, os recursos intrínsecos à vida ambiente.
Nos fundamentos da Criação vibra o pensamento imensurável do Criador e sobre esse plasma divino vibra o pensamento mensurável da criatura, a constituir-se no vasto oceano de força mental em que os poderes do Espírito se manifestam.
Aqui vemos o Fluido Cósmico Universal como o ELEMENTO ÚNICO que dá origem a tudo o que existe através de suas variações, através de suas múltiplas expressões. Mais uma vez vemos aqui a ideia e o conceito de UNICIDADE, de TOTALIDADE, uma ÚNICA SUBSTÂNCIA  dando origem a tudo que existe, a todo o resto de coisas que existem.


Lembremos que o espiritismo nos diz que tudo no nosso universo se origina das transformações do Fluído Cósmico Universal, são expressões diferenciadas dele, e isto implica em TOTALIDADE, em UNICIDADE.


Vejamos o que dizem alguns grandes cientistas:


- Erwin Schroedinger, um dos principais autores da Mecânica Quântica e prêmio Nobel de física, disse as seguintes frases:

" Existe obviamente uma única alternativa, a saber, a UNIFICAÇÃO das MENTES ou CONSCIÊNCIAS. Sua MULITIPLICIDADE é só aparente, em verdade existe APENAS UMA MENTE,".

" O mundo é dado a mim só uma vez, não uma vez existindo e uma vez percebido. SUJEITO E OBJETO SÃO APENAS UM. Não se pode dizer que a barreira entre eles foi rompida como um resultado da experiência recente nas ciências físicas, PORQUE ESSA BARREIRA NÃO EXISTE".

"A física quântica assim revela a unicidade básica do Universo".

"Por mais inconcebível que pareça à razão comum [isto é, o primeiro modo, ou modo dualístico], nós - e todos os outros seres conscientes como tais - SOMOS TUDO EM TUDO. Daí que a nossa vida, a vida que estamos vivendo, não seja apenas um fragmento da existência inteira, mas, em certo sentido, O TODO..."

Schroedinger afirmou quanto a esta UNICIDADE, este "UM CORPO", esta REALIDADE SINGULAR além do espaço e do tempo, que ELA é "essencialmente eterna e imutável e numericamente UM em todos os homens, ou melhor, em todos seres sensitivos... Por mais inconcebível que isso possa parecer à razão comum, nós - e todos os outros seres conscientes como tais - somos de suprema importância. Daí que a vida que estamos vivendo seja não só uma peça da existência inteira, mas, em certo sentido, O TODO...".

"Toda a consciência é essencialmente UMA".

" O mundo externo e a consciência são a mesma coisa" (isto fundamenta a conclusão a que alguns grandes físicos chegaram devido às descobertas da mecânica quântica, que é:  É A CONSCIÊNCIA QUEM PROVOCA O COLAPSO DA FUNÇÃO DE ONDA RELACIONADA À SUPERPOSIÇÃO DE ESTADOS DE ENERGIA, OU SEJA, É A CONSCIÊNCIA QUEM CRIA A REALIDADE FÍSICA. Como já o dissemos, Eugene Wigner, prêmio Nobel de física, disse que é a consciência quem cria a realidade física; Brian Josephson, também prêmio Nobel de física, disse que é o espírito quem cria tudo; John Wheeler, um dos maiores físicos que já existiu, disse que é a mente quem cria a realidade física e que nós não somos meros observadores, nós somos PARTICIPANTES que criam a realidade; Freeman Dyson, um dos maiores físicos da segunda geração de físicos quânticos, disse que A MENTE DOMINAR A MATÉRIA, É UM PRINCÍPIO UNIVERSAL; John Von Neumann, também um dos maiores físicos e matemáticos que existiu, fala que é a consciência quem cria a realidade; Robert Jahn outro grande físico que comanda o projeto PEAR da Universidade de Princeton, que mostra o pensamento atuando sobre a matéria, disse que a MENTE NÃO SÓ OBSERVA, A MENTE CRIA; Sir Arthur Eddington, também um dos maiores físicos do século XX, disse também que é o espírito quem cria a realidade e que o espírito É A MATÉRIA PRIMA DO UNIVERSO, Sir James Jeans, também um dos grandes físicos do século XX, disse que O UNIVERSO SE ASSEMELHA MAIS A UM GRANDE PENSAMENO DO QUE A UMA  GRANDE MÁQUINA.

"A teoria física em sua fase atual sugere a indestrutibilidade da MENTE pelo tempo".


"A única alternativa possível consiste simplesmente em guardar para a experiência imediata o fato de ser a consciência [isto é, a MENTE] UM SINGULAR CUJO PLURAL NÃO SE CONHECE;  que existe apenas uma coisa e o que se afigura uma pluralidade NÃO PASSA DE UMA SÉRIE DE ASPECTOS DIFERENTES DA MESMA COISA, produzidos por uma ILUSÃO; idêntica ilusão se produz numa galeria de espelhos, e identicamente Gaurisankar e o Monte Everest se revelaram o mesmo pico visto de vales diferentes."

- Niels Bohr,  um dos principais autores da Física Quântica e prêmio Nobel de física, acreditava que tudo fazia parte de um único TODO instantaneamente interconectado com tudo, e ele tinha os dois versos a seguir, do poeta Schiller, como os seus versos favoritos:

"Só o TODO conduz à claridade
E a verdade jaz no abismo".

- Freeman Dyson, um dos maiores físicos da segunda geração de físicos quânticos, disse:

"Somos todos UMA SÓ ALMA em diferentes disfarces".


- Sir James Jeans, um dos grandes físicos do século XX, possuía aguda percepção do que ele denominava "UMA REALIDADE MAIS PROFUNDA ALÉM",  e sempre insistia em "que precisamos sondar o substrato mais profundo da realidade antes de poder compreendermos o mundo da aparência", ele chegou à seguinte conclusão:

"Quando nos vemos no espaço e no tempo, nossas consciências são, obviamente, os indivíduos separados da imagem de uma partícula mas, quando passamos além do espaço e do tempo, elas talvez possam formar os ingredientes de uma singular corrente continua de vida. O que acontece com a luz e a eletricidade pode acontecer com a vida; os fenômenos podem ser indivíduos carregando existências separadas no espaço e no tempo, enquanto que, na realidade mais profunda, além do espaço e do tempo, PODEMOS TODOS SER MEMBROS DE UM CORPO."

- Sir Arthur Eddington, também um dos grandes físicos do século XX, disse o seguinte sobre esta MENTE UNA:

"Temos apenas um enfoque, a saber, através do nosso conhecimento direto [isto é, não-dual] da mente. O suposto enfoque [dualístico] através do mundo físico conduz tão-só ao ciclo da física, onde corremos em roda como um gatinho perseguindo a própria cauda."
  
"É o espírito quem cria a realidade"  

"O espírito É A MATÉRIA PRIMA DO UNIVERSO".


- Pierre Teilhard de Chardin, famoso antropólogo que ajudou a descobrir o Homem de Pequim, que foi um dos antigos ancestrais humanos, disse:

"Até agora temos olhado para a matéria como tal. isto é, de acordo com suas qualidades e em qualquer volume dado - como se nos fosse permissível quebrar um fragmento e estudar a  amostra separada do resto. Já é tempo de mostrar que esse processo não passa de um truque intelectual. Considerado em sua realidade física, concreta... o universo não pode dividir-se mas, como uma espécie de "átomo" gigantesco, forma em sua totalidade... o único verdadeiro indivisível... Quanto mais extensa e profundamente penetramos na matéria, com métodos cada vez mais poderosos, tanto mais nos confunde a interdependência das suas partes. CADA ELEMENTO DO COSMO É POSITIVAMENTE TECIDO DE TODOS OS OUTROS... É impossível cortar essa rede, isolar-lhe uma porção sem que ela fique puída e desfiada nas bordas. Em toda a nossa volta, até onde a vista alcança, O UNIVERSO PERMANECE UNO, e só é realmente possível um modo de considera-lo, a saber, ENCARANDO-O COMO UM TODO, numa só peça". 


 - No Cristianismo encontramos expressões como estas em I Coríntios:

"Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo?
Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com Ele.(6:15-17)

- Do Evangelho de São João:

"A fim de que todos sejam um; e como és TU, ó Pai, em Mim, e Eu em Ti, também sejam eles em Nós. (17:21)
 
 - Do Evangelho de São Tomé temos:

"Eles lhe perguntaram: Nós, então, sendo filhos, entraremos no  Reino? E Jesus lhes disse: QUANDO FIZERDES DE DOIS UM, E QUANDO FIZERDES O INTERIOR COMO O EXTERIOR E O EXTERIOR COMO O INTERIOR E O SUPERIOR COMO O INFERIOR,  e quando fizerdes o macho e a fêmea num só... então entrareis [no Reino]."
  
 - Também do Evangelho de São Tomé:

"Jesus disse: Eu sou a Luz que está acima de todos eles, Eu sou o Todo, o Todo veio de Mim e o Todo chegou a Mim. Racha um pedaço de pau, Eu estou ali; ergue a pedra e ali Me encontrarás."


- Em atos de Pedro apócrifos temos:

"És percebido tão-somente pelo espírito, és para mim pai, tu, minha mãe, tu, meu irmão, tu, meu amigo, tu, meu escravo, tu, meu administrador, tu és o TUDO E TUDO ESTÁ EM TI: e tu ÉS, e nada mais É senão tu."


-Platão, um dos maiores filósofos de toda a humanidade, considerava o universo UM CORPO ÚNICO, VIVO, em que cada parte é apenas uma parte do TODO.

- Plotino, o maior dos filósofos neoplatônicos, fala da "redução de todas as almas a UM". Ele disse:

 "Muitas vezes ocorreu: separando-me do meu corpo e retornando para dentro de mim mesmo, vindo a ser exterior a todas as outras coisas e centralizado em mim mesmo, vendo uma maravilhosa beleza, e então, mais do que nunca, com a certeza de que pertenço a uma ORDEM MAIS SUBLIME..." .

- Meister Eckhart, grande pensador, proclama que " Tudo na Divindade é UM, e a respeito disso não há o que dizer", e nos exorta a "sermos portanto esse UM, para podermos encontrar a DEUS."


TOTALIDADE E UNICIDADE IMPLICAM QUE TUDO QUE EXISTE PROVÉM DE UMA COISA SÓ, DE UMA FONTE ÚNICA, E ISTO É MAIS UM INDÍCIO E EVIDÊNCIA DA POSSÍVEL EXISTÊNCIA DE DEUS.

   
Um amigo nos disse o seguinte, baseado no texto acima que elaboramos e no que o vídeo mais abaixo mostra sobre o condensado de Bosen-Einstein, e  propôs a importante questão que se segue mais abaixo. Ele disse:

Muito interessante esses documentários. Faço apenas uma observação: geralmente os físicos, e cientistas de um modo geral, embora sejam ótimos na experimentação, na matemática e na sua área específica, não possuem uma formação sólida em filosofia e epistemologia.
Isso quer dizer que eles não estudaram as escolas filosóficas, a evolução da filosofia desde os pré-socráticos, e os avanços da epistemologia. Digo isso apenas para salientar que as idéias apresentadas no texto são geniais, é preciso apenas tomar cuidado para não reeditar o "panteísmo", utilizando da linguagem da moderna física.

Vou direto ao ponto, a grande pergunta é: COMO ENTENDER A UNIDADE E A DIVERSIDADE, SEM CAIR NO PANTEÍSMO?

Abraços!


Eu respondi:

Prezado amigo,
Primeiramente nestas décadas que procuro compreender as principais descobertas, teorias e conceitos da física e das outras áreas das ciências naturais, te digo que os verdadeiramente grandes e sábios cientistas destas áreas, sabem muito sobre filosofia e metafísica, afinal de contas a física é a filosofia da natureza e da realidade física fundamental, a física é onde se busca aprofundar a compreensão e o entendimento de como a natureza e a realidade fundamental são compostas, como elas estão estruturadas e como elas funcionam, para a partir daí ir na direção do PORQUE de tudo, do PARA QUE e PORQUE existe algo , existe a realidade física.

Quanto a resposta à sua preocupação, posso te dizer, em uma análise rápida, que primeiro temos que aprender a interpretar
a ciência e a extrair dela o que é verdadeiramente bom e importante, lembrando ainda que a ciência ainda não chegou à excelência do pleno entendimento e da compreensão plena das consequências filosóficas e metafísicas que as suas próprias descobertas já estão lhe mostrando e revelando ( mas está chegando a isto aos poucos e muitos cientistas já estão tendo uma maior compreensão disto).

 Exposto isto, Deus é a Fonte geradora e mantenedora de tudo. Tudo está Nele, se move Nele, existe Nele, mas sem ser Ele. A criatura não deve ser confundida com o Criador mesmo quando for UNA com ELE, mesmo quando estiver plenamente integrada com Ele, mantendo a sua individualidade enquanto, ao mesmo tempo que, está plenamente integrada na TOTALIDADE DELE. O princípio da complementaridade de Niels Bohr nos ajuda a compreender melhor estas questões, pois fomos acostumados a pensar classicamente e a entender que as coisas só podem ser uma coisa ou outra, e a física quântica nos mostrou que podemos ser, estar, e existir de várias formas diferentes ao mesmo tempo mesmo sendo contraditórias, é o que podemos também entender, possivelmente, do princípio da complementaridade quando diz que os entes físicos são ondas e partículas ao mesmo tempo, possuem estas características diversas e as vezes opostas ao mesmo tempo. A criatura pode então estar plenamente integrada e una com o Todo, mas sem ser o TODO, e manter mesmo assim a sua individualidade apesar de também fazer parte da Unicidade.  Conceitos de Totalidade e de Unicidade, e a diversidade, a variedade, emergindo, derivando, delas, não implicam necessariamente no panteísmo pois a obra de Deus, a Sua criação, mesmo sendo una, integrada, com Ele, como nos disse o Cristo com a frase "EU E O PAI SOMOS UM", não é Ele, mas sim um efeito criado por Ele, uma expressão gerada à partir Dele, por Ele. Então a Sua obra, a Sua criação, a natureza, não pode e não deve ser confundida com Deus, mas deve ser entendida como um fenômeno, um efeito, criado, gerado e sustentado por Ele, sem ser Ele.

As respostas que o Emmanuel deu às três questões que mostramos mais acima no texto e que estão no livro Emmanuel (páginas 171 e 172)  onde ele fala da unicidade, da totalidade e da individualidade, complementam, explicam, clareiam e nos ajudam a entender e a resolver a questão de que a totalidade, a unicidade, não implica em panteísmo

Ilustrado por Henrique Lisboa


DAURO MENDES












  Novo vídeo do condensado Bosen-Einstein

Postagens Anteriores