O QUE VOCÊ PROCURA? pesquise aqui.

quarta-feira, 27 de março de 2013

QUE SIGNIFICA O RAMO DE VIDEIRA QUE OS ESPÍRITOS PROPUSERAM A KARDEC?

Texto originalmente postado em:
http://espiritismocomentado.blogspot.com.br/2009/05/que-significa-o-ramo-de-videira-que-os.html


Figura 1: Imagem reproduzida do "Primeiro Livro dos Espíritos", traduzido por Canuto Abreu.

Recebi uma pergunta da Ana sobre a qual nunca me havia detido sobre o símbolo que os espíritos sugeriram representar o trabalho de Deus.

“As dúvidas principais, ou melhor, o não consenso foi em relação ao licor e ao bago.
As interpretações:

O espírito é o licor: seria a seiva que corre dentro da cepa ou o suco que sai da uva? O bago: é a uva (com a sementinha e seu envoltório) ou a sementinha dentro da uva?

Primeiramente fui ao texto em francês, que domino pouco, e encontrei mudanças entre a primeira e a segunda edições, que passo a reproduzir abaixo:

“Tu mettras en tête du livre le cep de vigne que nous t'avons dessiné (¹), parce qu'il est l'emblème du travail du Créateur; tous les principes matériels qui peuvent le mieux représenter le corps et l'esprit s'y trouvent réunis: le corps, c'est le cep; l’ame c’est le grain; l’esprit c’est La liqueur; c’est. l'homme qui quintessencie l'esprit par le travail et tu sais que ce n'est que par le travail du corps que l'esprit acquiert des connaissances.” (Primeira edição – Canuto Abreu)

“Tu mettras en tête du livre le cep de vigne que nous t'avons dessiné (¹), parce qu'il est l'emblème du travail du Créateur; tous les principes matériels qui peuvent le mieux représenter le corps et l'esprit s'y trouvent réunis: le corps, c'est le cep; l'esprit, c'est la liqueur;l'âme ou l'esprit unis à la matière, c'est le grain. L'homme quintessencie l'esprit par le travail et tu sais que ce n'est que par le travail du corps que l'esprit acquiert des connaissances.” (Segunda Edição – Federação Espírita Belga
Marquei as diferenças de tradução em vermelho. Como se vê, foram apenas um esforço de Kardec em deixar mais claro o que ele queria dizer.

Tetê du livre

Canuto Abreu – frontal do livro
Evandro Bezerra – cabeçalho do livro
Guillon Ribeiro – cabeçalho do livro
Herculano Pires – cabeçalho do livro
Salvador Gentile – cabeça do livro

Cabeçalho –“título e primeiros dizeres de qualquer publicação”

Em suma, a idéia dos espíritos é colocar no começo do livro, no início do livro. Parabéns à FEB por finalmente colocar o desenho da vinha na capa de “O Livro dos Espíritos”.

Le cep du vigne
Canuto Abreu – a cepa de vinha
Evandro Bezerra – a cepa
Guillon Ribeiro – a cepa
Herculano Pires – o ramo de parreira
Salvador Gentile – a cepa de vinha

Cepa – “tronco da videira, donde brotam os sarmentos” (sarmento – vide: rebento da videira, braço ou vara da videira)

Le corp’s c’est le cep
Herculano: O corpo é o ramo
Todos os outros tradutores: o corpo é a cepa

l'esprit, c'est la liqueur
Canuto Abreu – o espírito, enfim, é o vinho
Evandro Bezerra – o espírito é a seiva
Guillon Ribeiro – o espírito é o licor
Herculano Pires – o espírito é a seiva
Salvador Gentile – o espírito é o licor

Liqueur vem do latim “liquefazer”. Há um sentido para a palavra que é o de substância fluida ou líquida. A palavra seiva, em francês é sève, que é o líquido que nutre os vegetais. Não encontrei nos dicionários que procurei uma sinonímia entre licor e seiva.

l'âme ou l'esprit unis à la matière, c'est le grain

Canuto Abreu – a alma é o bago (diferença da primeira edição)
Evandro Bezerra – a alma, ou espírito ligado à matéria, é o bago
Guillon Ribeiro – a alma, ou espírito ligado à matéria, é o bago
Herculano Pires – a alma, ou espírito ligado à matéria, é o bago
Salvador Gentile – a alma, ou espírito ligado à matéria, é o grão

Encontrei no dicionário de francês dois sentidos para grain que se aplicam ao texto: “semente de cereal” e “pequena fruta redonda.”
Bago, no dicionário de português, viria de baga e significa cada fruto do cacho de uvas.

Minha conclusão aqui é com a maioria dos tradutores (perdoe-me Gentile, mas sua tradução literal o traiu). Trata-se da uva.

L'homme quintessencie l'esprit par le travail

Canuto Abreu – O homem é quem, pelo trabalho destila o espírito (primeira edição)
Todos os outros autores – O homem quintessencia o espírito pelo trabalho

Quinta-essência: “substância etérea e sutil, extraída do corpo que a continha; extrato retificado, levado ao último apuramento”; “substância considerada pelos alquimistas como o quinto elemento, além da água, da terra, do fogo e do ar e obtida após cinco destilações sucessivas; o mais alto grau, o requinte, o auge; o que há de melhor”

Discussão:

Depois de todo este esforço de Hermenêutica, matéria sobre a qual Canuto Abreu tinha notório saber, o que posso concluir é o seguinte:o corpo é a rama da videira, a alma ou espírito unido à matéria é a uva e o espírito é o líquido dentro da uva, seu suco. Através do trabalho, o ser humano transforma o suco em vinho, ou seja, a destila, retira sua quintessência, transforma o espírito em um espírito do mais alto grau, superior, evoluído.


Por favor compartilhem, cliquem nos ícones do Facebook, Orkut, G+ e Twitter abaixo.